solicite um orçamento
Compartilhe:
Facebook twitter

Energia Fotovoltaica

Energia Fotovoltaica - pailel (ilustração)

Geração de Energia Elétrica com Energia Renovável do Sol

Funcionamento

O módulo solar fotovoltaico converte diretamente a energia da luz do Sol em energia elétrica confiável, limpa e sem interferências externas.

Matrizes de células solares são associadas de forma a produzir a tensão desejada pelo efeito fotoelétrico.

O sistema, quando previsto armazenamento, utiliza baterias estacionárias (banco de baterias), dimensionadas geralmente para suprir até quatro dias com insolação insuficiente, possibilitando a autonomia do sistema. Incorpora também controlador ou regulador de carga, que carrega adequadamente a bateria, protege contra sobrecargas e descargas excessivas, evita o retorno de energia para o módulo, etc., e inversor, que converte energia elétrica DC (corrente contínua) em energia AC (corrente alternada) para possibilitar a alimentação de cargas AC, geralmente em 110V.

Vantagens

  • Confiável, fontes inesgotáveis e gratuitas;
  • Energia limpa, sem poluição ou qualquer resíduo;
  • Alta qualidade, sem harmônicas e sem ruídos;
  • A instalação do sistema, que é modular, pode ser realizada tanto em obras em andamento como em construções finalizadas;

clique nas imagens para ampliar:

O Brasil avança e torna viável pequenas instalações de energia renovável

Em 17 Abril de 2012, foi publicada a Resolução Normativa 482 da ANEEL (Agencia Nacional de Energia Elétrica), que dá diretrizes e regulamenta o mercado de energias renováveis no Brasil, através da micro e mini geração de bases hidráulica, eólica, solar, biomassa e ou cogeração.

Estas novas instalações poderão ser conectadas a rede de distribuição das Cias Elétricas, dispensando desta forma as baterias de armazenamento. O consumo de energia elétrica da unidade consumidora será compensado com a energia gerada por esta unidade, como numa espécie de conta corrente de energia, impactando sobre sua conta de energia, de forma proporcional.

A EcoCasa® – Tecnologias Ambientais, entendendo que se trata de um novo momento no cenário energético brasileiro e que requer novos conhecimentos e entendimentos, preparou uma equipe técnica multidisciplinar para o atendimento as demandas deste novo mercado, Engenheiros, Técnicos e Eletrotécnicos especialistas em energia fotovoltaica e energias renováveis em geral, advogados especialista na fundamentação legal das diretrizes normativas especificas para cada projeto, darão aos Clientes EcoCasa®, a segurança técnica, jurídica e econômica necessárias à implantação exitosa de cada projeto.

Consultores especializados produzirão estudos de viabilidade técnica e econômica de maneira que o investidor possa ter elementos essenciais à tomada de decisão, com foco na sustentabilidade econômica de cada projeto.

Técnicos altamente qualificados e experientes na área de energias renováveis estarão aptos a executar instalações e manutenções dos sistemas mais complexos.

Conte com nossa equipe para:

  • Consultoria e Assessoria;
  • Projetos e Estudos de Viabilidade Técnica e Econômica;
  • Instalações;
  • Assistência Técnica.

O Brasil, contará com novas tecnologias em energias renováveis, especialmente a energia solar fotovoltaica, isso exigirá serviços profissionais qualificados e atualizados, EcoCasa® – Tecnologias Ambientais, está preparada para o melhor atendimento aos seus Clientes.

O Quadro Energético Brasileiro

De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o consumo de energia elétrica no Brasil vem crescendo cada vez mais, sendo que dobrou na última década, este crescimento vem ocorrendo devido ao aumento da atividade econômica. Até 2020 estima-se um aumento de 55,6% na demanda total, com um crescimento de 8,5% acima dos 47% registrados na última década.

No Plano Decenal de Expansão de Energia para 2020 da EPE, está previsto um aumento de 51% da capacidade instalada para atender a demanda, sendo que destes 51% (171.138 MW) 32.184 MW virão de usinas hidrelétricas, 8.857 MW de termoelétricas movidas a combustíveis fósseis, 1.405 MW de termonucleares e 18.009 MW de fontes alternativas, sendo estas: Eólica, Biomassa e pequenas centrais Hidrelétricas (EPE 2011ª).

A expansão da matriz brasileira está baseada no paradigma da geração centralizada, o que facilita os ganhos na economia em escala, no planejamento e operação do sistema, porém, aumenta o índice de perda de energia (em 2010, segundo a EPE, a perda foi de 17,2%, quantia suficiente para abastecer 47,7 milhões de residências), isto porque os centros de geração são distantes dos locais de consumo. Outro aspecto negativo é o impacto socioambiental, uma vez que para se construir as grandes hidrelétricas é necessária a remoção de comunidades inteiras para a inundação de territórios, já no caso das termoelétricas movidas a combustíveis fósseis, a desvantagem está nas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) entre outros poluentes provindos da queima dos combustíveis.

Uma das alternativas pode estar num recurso usado há mais de 10 anos na Europa, Estados Unidos e Japão, a utilização dos painéis fotovoltaicos conectados diretamente na rede de energia elétrica, tornando o recurso mais acessível, pois dispensa o uso de baterias para armazenar a energia, o que torna o processo mais caro e reduz o índice de aproveitamento. No Brasil desde abril de 2012 a Resolução Normativa 482/2012 da ANEEL (Agencia Nacional de Energia Elétrica), regulamenta a implantação de projetos deste tipo, cuja proposta funciona da seguinte forma: O painel solar fotovoltaico é instalado na residência, capta a energia do sol e a transforma em energia elétrica e caso produza mais do que se consome, o excedente é então “injetado” à rede e será utilizado por outros usuários, gerando créditos para quem produziu. Desta forma, é possível, num primeiro momento, uma redução nas contas de energia, uma vez que a edificação produza energia suficiente para gerar créditos que suportem o uso provindo da rede.

A elaboração deste tipo de projeto deve seguir critérios técnicos e parâmetros legais impostos pela regulamentação, importante que os interessados contratem empresas especializadas e mão de obra capacitada para uma analise técnica e econômica de seus projetos, de forma a otimizar seus investimentos.

A EcoCasa® – Tecnologias Ambientais e a Solstício Energia, através de uma parceria, na forma de Aliança Estratégica, buscam constante aperfeiçoamento na área, proporcionando aos interessados uma gama de serviços especializados que vão desde a análise de viabilidade técnica e econômica até o fornecimento, instalação e manutenção de sistemas conectados a rede.

Conheça a integra do Artigo Técnico escrito pelo Eng.º, Bruno Wilmer Fontes Lima, MSc., Diretor da Solstício Energia, sobre o assunto.


parceiros, apoio e formas de pagamento Solsticio Energia